Comunidade Evangélica Luterana "Cristo"

Endereço: Rua Lincoln Byrro, 1520, Bairro São Paulo - Gov. Valadares, MG - Cep.: 35030-280;
Tel.:(33) 3021-6056;
E-mail: celcgv@gmail.com - Pastor Jadir Carlos Mundt
CULTOS AOS DOMINGOS ÀS 9H

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Dia de Natal - Reflexão da Semana


Comunidade Evangélica Luterana “Cristo”
Governador Valadares – MG – 3221 3377
INFORmaisCRISTO

                                            
 
Dia de Natal – 25/12 a 01/01/2012
Textos Bíblicos: Sl 02; Is 52.7-10; Hb 1.1-6,7-12; Jo 1.1-14, 15-18

Reflexão
Tema: Jesus Cristo é o nosso Senhor e Rei
O mundo espera por bons governantes. A história do mundo sempre demonstra essa busca. Um bom Rei, políticos honestos, presidentes que administrem bem o país e um povo. No entanto, o que a história mostra é que todos os governantes tiveram problemas que originaram escândalos. Basta olharmos para trás e analisarmos alguns dos principais governantes: Saul (arrogante e imaturo); Davi (assassino e adultero), Herodes (Ganancioso e egocêntrico). Em nossos dias, basta abrirmos um jornal, ligar a TV em um noticiário que encontramos os escândalos envolvendo os políticos do nosso país e do mundo. Por isso, quando o povo escuta a promessa de um Rei que vêm para salvar o mundo, a população se alegra. Mas, o que eles não compreendiam, é que a salvação que este rei iria trazer não era uma salvação política social, mas salvação Espiritual. O Senhor e Rei Jesus é o Salvador espiritual das pessoas. Ele veio trazer a paz, mas não a paz que o mundo almeja, ele veio trazer a paz de espírito, a paz no coração “vinde a mim todos que estais cansados e sobrecarregados e eu voz aliviarei” (Mt 11.28). Jesus cristo veio sim libertar, mas libertar da escravidão do pecado e das garras do maligno. Sim, Jesus Cristo é nosso Rei. Ele é nosso Senhor, o único que é digno de toda honra, glória e louvor. Ele é a Palavra que se fez carne: Jesus Cristo é nosso Senhor e Rei.
Régis Duarte Müller

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Mensagem Programa de Natal - CEL Cristo - GoVal


Mensagem Programa de Natal – Governador Valadares 2011

Jesus veio para Salvar a Humanidade
Textos base: Lc 1.24-31, 46ª; Lc 2.1-5, 6,7; 8-14; Mt 2.1-11
Régis Duarte Müller


Viver o tempo de Advento, chegar ao natal e poder lembrar o nascimento de Jesus Cristo são coisas muito especiais. Mas, ao mesmo tempo, a maioria das pessoas está saindo de férias. Tantos outros, preocupados com a virada de Ano, acabam esquecendo ou deixando de lado o NATAL.
Claro que o dia do Natal não tem nenhuma diferença comparando com os demais dias do ano. Ele se torna importante quando guardamos esse dia como especial, em ocasião do nascimento de Jesus Cristo. Nascimento do Rei Jesus, do Messias, do Salvador. É a concretização do que disse o profeta: “Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz” (Is 9.6).
Quando completou-se o tempo, quando chegou a hora de Jesus nascer José e Maria precisaram encontrar um lugar às pressas. O Rei Jesus, digno de todas as palavras de honra, nasceu em uma estrebaria e foi colocado dentro de uma manjedoura, que é uma espécie de tabuleiro onde os animais se alimentavam. Esse era o único lugar que havia para se abrigarem. Foi ali que nasceu o Salvador da Humanidade.
Não foi somente o lugar onde Jesus nasceu que era simples e humilde, mas a cidade também era, vamos dizer, insignificante: “E tu, Belém-Efrata, pequena demais para figurar como grupo de milhares de Judá, de ti me sairá o que há de reinar em Israel, e cujas origens são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade” (Mq 5.2). Isso quer dizer que a cidade é pequena, aparentemente insignificante, mas de onde se fará grandes coisas.
Como podemos falar de um Rei que nasceu em uma estrebaria, em uma cidade simplória?! É verdade, na genealogia de Jesus encontramos pessoas muito importantes, alguns Reis. Mas, também é verdade que em seus descendentes encontramos Reis que fizeram muito mal ao povo. E, ainda, encontramos gentios como a Ruth, de caráter duvidoso como Raabe.
Qual o motivo de Deus vir ao mundo diante de tal genealogia? Sendo tão poderoso, Deus poderia ter escolhido a melhor família e descendência. Poderia ter escolhido uma cidade mais importante. Poderia ter escolhido um tempo melhor, sem problemas políticos, um tempo que não fosse tão tumultuado, pois era tempo de pagamento de impostos e todas as pessoas deveriam voltar à cidade natal e pagar seus impostos. Poderia ter escolhido uma alta família de Judeus. Mas não, Jesus Cristo nasceu da forma mais simples e humilde. E mesmo neste fato encontramos os propósitos de Deus. Primeiro, cumpriu as promessas apresentadas outrora pelos profetas, em seguida, o grande Jesus nasce para cumprir o grande propósito de Deus, que é Salvar a Humanidade. Pois diferente do que muitos pensavam naquela ocasião, Jesus não veio apenas aos judeus. Sem dúvida eles foram importantes, foram os instrumentos que Deus usou. O canal para revelação de todo seu amor pelo mundo.
A linhagem de Jesus talvez queira nos mostrar alguma coisa. Talvez queira mostrar que não existe descendências perfeitas. Cristo vem ao mundo através de pessoas problemáticas. Pessoas com desvios de conduta, pessoas que prejudicaram outras. Provavelmente esse foi o motivo de ter vindo ao mundo com tamanha singeleza. Tendo em vista que nós todos somos pessoas problemáticas, que todos temos problemas e pecados, o objetivo de Deus era enviar seu Filho ao mundo a fim de ser o Salvador da humanidade.
O nascimento de Jesus foi de maneira muito humilde. Considerando nossos dias, muitas pessoas nascem de forma anônima e simples. Assim também, ele nasceu de forma anônima e muito, mas muito mais simples que qualquer pessoa em nossos dias. Tudo isso para demonstrar o quanto Deus é humilde.
É possível que Jesus tenha nascido de forma humilde para que o maior número de pessoas possível tivesse acesso a ele. Imaginem comigo, se Jesus tivesse vindo ao mundo em um palácio, em um berço maravilhoso, isso faria com que apenas algumas pessoas se identificassem com ele. Desta forma qualquer um pode. Isso mostra que Deus é capaz de tudo para ir de encontro ao seu povo.
Diante de uma simples musica infantil natalidade podemos nos deparar com nosso desconhecimento desse feito importante. As crianças cantam: “Alguém sabe o que é o natal? Será brinquedos e presentes finos, arrumado e embrulhados pra meninas e meninos? Será castanhas e rabanadas ou árvores com luzes a piscar? Não é isso que é o natal. Tenho certeza que é muito mais: Cristo nasceu neste dia feliz, e é isso que é o natal”.
Por causa de nossa sociedade capitalista, todas as coisas giram em torno do dinheiro, da compra, do poder, etc. Isso afeta muito fortemente as famílias e a razão de sua existência. Em nossos dias poucas pessoas recordam o verdadeiro sentido do natal. Para muitos é mais uma data para se trocar presentes, fato que leva milhões de pessoas às lojas e shoppings comprar seus presentes. É óbvio que é gostoso ganhar um presente, ser lembrado por alguém, mas o maior presente nós já recebemos e não precisamos dar nada em troca. Foi o presente que Deus nos deu no primeiro Natal – Jesus Cristo.
Esse presente é o melhor que poderia existir. Para tanto, basta algumas pequenas reflexões para perceber. Se ganhamos um brinquedo, vamos usá-lo por determinado tempo. Esse brinquedo vai se gastando, quebra ou mesmo deixamos de usá-lo. O mesmo acontece com uma roupa ou qualquer outra coisa. Mas, quando ganhamos o presente da fé em Jesus Cristo, ninguém poderá tirá-lo de nós. Com este presente, nossa vida não vai terminar aqui, com a morte terrena. Mas teremos uma alegria perpétua junto com Deus no céu.
Deus deu aos seus filhos esse presente a mais de dois mil anos atrás. Mas ele nunca perde o valor. Esse presente se torna nosso, finalmente, em dois momentos: através do Batismo e ou pelo ouvir da Palavra de Deus.
Por que destas formas? Por que foi assim que Deus determinou. Foi assim que ele resolveu chegar até nós. Poderíamos questionar esse fato, assim como questionamos o motivo de Jesus ter nascido de maneira tão simples. Mas, não vem ao caso. Pois é Deus quem faz as coisas do seu jeito e conforme sua suprema vontade.
Portanto, Deus deu o presente do nascimento do Menino Jesus no Natal. Nós recebemos Jesus em nosso coração através da ação do Espírito Santo, quer dizer, pelo Batismo ou pela Palavra. Esse é o presente da fé no menino Jesus que nos dá a vida eterna.
Tendo, pois, recebido este magnífico presente, devemos fazer o mesmo que fazemos com os presentes que ganhamos de nossos padrinhos, pais, irmãos, filhos ou amigos: Cuidar. Quando recebemos um presente nós cuidamos dele com carinho. Com muito mais zelo, precisamos cuidar do presente que Deus nos deu. Pois precisamos manter esse presente, a fé, sempre acesa e atuante. Por isso lembramos o nascimento de Jesus, fazemos programações especiais, encenamos o seu nascimento, estamos dando importância a este acontecimento único. Estamos cuidando do presente que Deus nos deu. Estamos sempre fortalecendo a chama da nossa fé.
Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus Pai e a comunhão com o Espírito Santo estejam com todos vocês. Hoje e Sempre. Amém.


Bíblia Almeida – Revista e Atualizada, SBB.
Bíblia Digital Glow, SBB.

N

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Artigo Pastor Marcos Schmidt

Conflitos de Natal
Natal, Fim de Ano, época de contradições, de estranhezas, tempo de alegrias e dissabores. De festas e votos de felicidade mesclados com sentimentos de frustração, desalento, melancolia. Período que vêm à tona lembranças talhadas na memória, carregado com emoções confusas ascendidas por melodias, imagens, símbolos, aromas. Recordações de pessoas amadas que ficaram em álbuns de fotografia e confundem o coração de saudades; de lugares transformados pela modernidade – paisagens bucólicas, tranquilas, engolidas pelo asfalto e agitação. Sem subterfúgio, o dezembro é aquela derradeira folhinha do calendário que evoca tantas coisas, anseios guardados numa caixinha que se abre despertando conflitos e desesperança.
Mas o motivo destes sentimentos vem do próprio Natal. Algo parecido com a reação de Maria, “que ficou sem saber o que pensar” (Lucas 1.29) ao receber a notícia de que seria a mãe do Salvador. Ficar confuso ante o Deus encarnado é uma atitude coerente. Porque Natal é o mistério dos mistérios. “Quem pode conhecer a mente do Senhor?” (1 Coríntios 2.16).  Cientistas ousam desvendar a “partícula de Deus” – nome dado a suposta partícula responsável pelo surgimento da matéria na origem do Universo. Isto é ciência humana, que não explica a partícula de Jesus, “verdadeiro Deus do verdadeiro Deus, gerado, não criado, de uma só substância com o Pai, por quem todas as coisas foram feitas” (Credo Niceno).
Como entender que “No começo aquele que é a Palavra já existia. Ele estava com Deus e era Deus” (João 1.1)? Inaceitável à luz da sabedoria humana. Por isto, “Aquele que é a Palavra veio para o seu próprio país, mas o seu povo não o recebeu” (João 1.11).  Mistério rejeitado, descrido, refugado. “Porém alguns creram nele e o receberam, e a estes ele deu o direito de se tornarem filhos de Deus” (João 1.12). Mistério recebido, crido, usado. E assim na letra do poeta: “Ó tempo santo de Natal, tu tens mensagens lindas! O mundo não tem luz nem paz, mas isto meu Jesus me traz. Ó tempo santo de Natal, tu tens mensagens lindas!”.

 
Marcos Schmidt
pastor luterano
fone 8162-1824
Igreja Evangélica Luterana do Brasil
Comunidade São Paulo, Novo Hamburgo, RS
15 de dezembro de 2011

sábado, 10 de dezembro de 2011

3°Dom Advento


Comunidade Evangélica Luterana “Cristo”
Governador Valadares – MG – 3221 3377
INFORmaisCRISTO

                                           
 
3° Domingo de Advento – 11/12 a 18/12/2011
Textos Bíblicos: Sl 126; Is 61.1-4,8-11; 1 Ts 5.16-24; Jo 1.6-8,-19-28
Reflexão
Tema: Consolar os que Choram
Esta foi uma semana muito triste para a IELB, pois perdeu dois pastores. Mas, muito triste para a turma de 2005, que perdeu um colega e grande amigo, que hoje se encontra nos braços do Bom Pastor. Isso me fez lembrar dos lemas que a turma escolheu nas formaturas: “Consolai, consolai o meu povo, diz o vosso Deus” (Is 40.1) e, também: “Alegrem-se com os que se alegram e Chorem com os que choram” (Rm 12.15). O pastor, diante destes textos, assume uma grande e sublime tarefa: Consolar o povo de Deus; alegrar-se com ele, e chorar. Estes lemas, a meu ver, fazem todo sentido quando ouvimos: “Não queremos, porém, irmãos, que sejais ignorantes com respeito aos que dormem, para não vos entristecerdes como os demais, que não tem esperança” (1Ts 4.13). Portanto, ao mesmo tempo que choramos com alguém, queremos consolar com a esperança da vida eterna “porque para mim tenho por certo que os sofrimentos do tempo presente não podem ser comparados com a glória a ser revelada em nós” (Rm 8.18). Pois, o que Deus deseja para seu povo, em seu maravilhoso amor, fica claro quando nos diz: “Virá o Redentor a Sião e aos de Jacó que se converterem, diz o SENHOR” (Is 59.20). O Redentor já veio, é Cristo Jesus, a quem aguardamos para também nos buscar. A fim de vivermos para sempre na bem aventurança eterna. Que assim seja. Amém.
Régis Duarte Müller

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

LUTO

Olá, gostaria de compartilhar minha coluna de hoje no Jornal Dois Irmãos com vocês:
                                 Ele nunca nos deixará.
Queridos leitores. Hoje, se eu pudesse, colocaria toda esta seção pintada de preto. E vou dizer porque: Hoje faleceu o pastor Ronaldo Martinho Arndt Jr, um grande amigo meu, que foi meu colega durante 6 anos no Seminário Concórdia. Ele havia sofrido um acidente de carro e estava se recuperando bem. No entanto, ele acabou tendo uma infecção muito forte, pneumonia e seu coração não aguentou tudo isto, de modo que faleceu ontem à noite, no hospital em Gravataí.
Ser pastor é, também, levar consolo às pessoas. Neste momento preciso encontrar as palavras certas, para consolar a mim mesmo, aos demais amigos e, quem sabe até aos seus irmãos e à sua mãe, que o perdeu para a vida eterna tão cedo. E confesso que está complicado fazer isso... Quando estamos envolvidos assim com a pessoa falecida, parece que as palavras batem e voltam. E tenho a certeza de que todos já passaram ou um dia passarão por isto.
Mesmo assim, a Palavra do Senhor continua sendo sempre a mesma. Os dias vão e vêm e nós paramos sempre diante dos pés do Senhor, estendendo as mãos e pedindo Seu socorro e abrigo. Os anos passam, mas a palavra de Deus permanece, sempre, intacta, pronta a nos consolar. E nós precisamos ler esta Palavra se quisermos ter algumas respostas.
1 Tessalonicenses 4.13: “Não queremos, porém, irmãos, que sejais ignorantes com respeito aos que dormem, para não vos entristecerdes como os demais, que não têm esperança.” A palavra de Deus nos encoraja a termos esperança. É a esperança da vida eterna. Jesus diz, em João 16.33 “Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo.” Buscamos ânimo do poder de Jesus, que com sua morte nos deu a vida, no paraíso, no céu, que dura para sempre. Vida esta que recebemos pela fé em Cristo Jesus.
         
Hebreus 13. 5b nos diz: “De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te abandonarei.”. Obrigado, Senhor, por nos dares a esperança da vida eterna. Obrigado por estares sempre conosco, também nas horas de aflição. Queremos estar em Ti até o fim da nossa vida neste mundo, para que, por Teu poder, esta vida se estenda para toda a eternidade. Guarde-nos na fé, Senhor, na esperança de reencontrarmos todos os nossos irmãos queridos no céu. Fiel é a Tua Palavra. E nela nos apegamos com todas as forças, pois sabemos que jamais nos deixarás. E por que sem Ti, nada poderemos fazer. Guarda-nos, oh Deus potente. Amém.
 
Davi Schmidt

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Artigo Pastor Ismar Pinz - Lei da Palmada

Lei da Palmada

Um projeto de Lei ganhou o apelido de “Lei da Palmada”, que proíbe toda e qualquer agressão contra crianças – mesmo que seja uma palmada dada pelo pai ou pela mãe.
Compreendo e elogio o objetivo maior da Lei, que é frear a ação irracional de uma série de adultos desequilibrados que perdem a cabeça e ganham força no braço, de forma que a palmadinha vira surra! Porém entendo que a generalização que a Lei faz é condenável. Colocar toda e qualquer palmada como crime confunde as coisas. Dizer que um pai e uma mãe que dão uma palmadinha para chamar atenção da criança são criminosos é exagero. Supor que muitos não sabem diferenciar palmada de espancamento é desacreditar de tudo.
No meu entender, o que realmente merecia um corretivo, quem realmente deveria receber uma forte palmada não são as crianças, mas uma senhora já crescida chamada “Impunidade”!
Lamento o quanto nós nos detemos em criar novas leis, ao invés de punir as transgressões. Já há leis que punem espancamentos e agressões a menores. Por isso o problema não é a falta de leis, mas a falta de punição.
A impunidade reina! O irônico é que a Lei da Palmada de uma ou de outra forma acaba levando um pouco mais de impunidade para dentro de casa. Por outro lado a Bíblia diz: “É bom corrigir e disciplinar a criança. Quando todas as suas vontades são feitas, ela acaba fazendo a sua mãe passar vergonha” (Pv 29.15). E ainda: “Quem não castiga o filho não o ama. Quem ama o filho castiga-o enquanto é tempo.” (Pv 13.24)
Sei que para punir, não é preciso agredir. Aprovo a força do diálogo e conheço a fraqueza da violência. Por isso não condeno o objetivo da Lei, porém destaco que a solução está na educação das pessoas, a fim de que saibam se controlar, medir, julgar, dialogar. A solução não está no texto da Lei. Pena que em nosso país se gasta tanto com legisladores e tão pouco com os educadores.
O Mestre Jesus estaria sempre pronto a desestimular toda e qualquer forma de violência, especialmente contra crianças. Para combater toda maldade apregoou uma única Lei, a Lei do Amor. Educar e cuidar com amor. Honrar e respeitar com Amor. Por Amor ele sofreu sobre si, palmadas, bofetadas, chicotadas e inclusive a crucificação.
Uma palmada com Amor é mais nobre que a omissão daquele que nem se importa com a verdadeira educação. Mas, o diálogo firme e amoroso é ainda mais valioso.



Ismar L. Pinz




Quer discutir o assunto? Faça comentários sobre o assunto. Diga o que você pensa a respeito do projeto de lei. Você concorda? Descorda? Não temos dúvida de que é um assunto delicado e que divide muitas pessoas e profissionais que trabalham na psicologia infantil.

Segue link sobre lei da palmada. Conforme especialista de educação, lei da Palmada é desnecessária:
http://www1.folha.uol.com.br/multimidia/podcasts/1021093-lei-da-palmada-e-desnecessaria-ouca-especialista-em-educacao.shtml 

sábado, 3 de dezembro de 2011

2° Domingo de Advento


Comunidade Evangélica Luterana “Cristo”
Governador Valadares – MG – 3221 3377
INFORmaisCRISTO


 
2° Domingo de Advento – 04/12 a 11/12/2011
Textos Bíblicos: Sl 85; Is 40.1-11; 2 Pe 3.8-14; Mc 1.1-8
Reflexão
Tema: Metanóia – Vida de Arrependimento
Um empresário vinha encontrando problemas na condução da empresa que estava se aproximando da falência. Para piorar a situação acaba batendo com o carro. Mas, por coincidência, era um senhor que trabalhava na área de educação de negócios. Ele acaba mostrando ao dono da empresa que para voltar a ter sucesso deveria mudar de mentalidade, quer dizer metanóia, quer dizer, livrar-se dos entulhos e liberar o espaço para o novo (volta de 180°). Essa mesma mentalidade deve estar presente nos cristãos, tendo em vista que os pecados criam entulhos e diminuem o espaço para a novidade de vida em Cristo. Desta forma, compreendemos que é preciso viver uma vida de arrependimento. É preciso reconhecer a necessidade do perdão de que vêm de Deus, mesmo sabendo, assim como João Batista: “Não somos dignos, nem mesmo de ajoelhando-nos, desatar-lhe as sandálias”, mas, o povo pede: “Mostra-nos, SENHOR, a tua misericórdia e concede-nos a tua salvação” (Sl 85.7). Se você leu isto avise o pastor. A metanóia em nossa vida é compreender e acreditar que somente Jesus pode nos libertar das armadilhas do pecado. Somente Jesus é o caminho para a vida eterna. Pois é em Cristo que Deus apresenta ao povo seu completo perdão e a vida eterna.
Régis Duarte Müller