Comunidade Evangélica Luterana "Cristo"

Endereço: Rua Lincoln Byrro, 1520, Bairro São Paulo - Gov. Valadares, MG - Cep.: 35030-280;
Tel.:(33) 3021-6056;
E-mail: celcgv@gmail.com - Pastor Jadir Carlos Mundt
CULTOS AOS DOMINGOS ÀS 9H

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Guiados pela Cruz de Cristo


Guiados pela Cruz de Cristo.
GoVal 10/02/2013
Régis Duarte Müller
2° Dom na Quaresma – 24/02 a 03/03/2013

Textos Bíblicos: Salmo 4; Jeremias 26.8-15; Filipenses 3.17-4.1; Lucas 13.31-35

                Durante toda nossa vida somos guiados por alguém ou alguma coisa. Guia pode ser: Uma pessoa que guia, conduz ou dirige ao destino desejado; um instrumento usado para guiar o cavalo para o destino desejado, enfim, um instrumento que contribui com as pessoas, com o objetivo de alcançar o destino almejado.
            Hoje em dia, um guia muito usado pelas pessoas vem de um pequeno eletrônico conhecido como GPS ou multimídias, o qual contém um guia eletrônico, e tem como objetivo levar as pessoas ao destino, mesmo que o condutor do veículo não conheça o caminho..
            É bem verdade que eles nem sempre são precisos, e em certos lugares o aparelho pode perder o sinal nos lugares que você mais precisará dele. Ficar sem sinal causa a indecisão, a dúvida e o medo.
            Quem já teve a experiência de perder o sinal do GPS em algum lugar difícil sabe do que estou falando. Assim, também, a Igreja é como um GPS, a qual possui o mapa da Palavra de Deus. Com a diferença do eletrônico, a Bíblia nunca perde o sinal, e sua Palavra é viva e eficaz, em qualquer lugar que esteja. Acontece que nem todos estão dispostos a ouvir e praticar sua instrução.
            O profeta Jeremias sentiu isso na péle, quando pregou na própria casa do SENHOR e foi repudiado e ameaçado de morte – a própria casa de Deus não estava interessada em ouvir o que o SENHOR tinha para dizer. Ameaçado de morte pelos seus, somente a proteção Divina manteve Jeremias livre da morte (Introdução ao Antigo Testamento, p.357)!
            Falsos profetas, presentes dentro da Igreja da época, colocavam em xéque a Palavra de Deus. Pois enquanto Jeremias fazia a vontade de Deus e pregava julgamento a um povo impenitente, os falsos profetas contradiziam sua mensagem de julgamento pregando paz e segurança.
            Mas mesmo diante de ataques, incredulidades e falsas profecias, Jeremias persistia na Pregação guiada por Deus.
Assim como Jeremias, o próprio Jesus foi ameaçado de morte, também dentre os seus, na cidade de Jerusalém. Diante disso, Jesus diz:  “Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas e apedrejas os que te foram enviados! Quantas vezes quis eu reunir teus filhos como a galinha ajunta os do seu próprio ninho debaixo das asas, e vós não o quisestes!” (Lc 13.34). Jesus foi perseguido até ser morto crucificado.
Após a morte cruel de Jesus Cristo na cruz, o Evangelho continuou a ser pregado. Mas a Igreja continou a ser perseguida e falsas pregações podem ser encontradas por aí até hoje. Por isso, o Apóstolo Paulo chama atenção sobre aqueles que estão dentro da própria Igreja minando o povo de Deus com leviandades e ilusões, amando a vaidade e promovendo a mentira (Sl 4.2). A estes, o Apóstolo chama de “inimigos da cruz de Cristo”, pois não seguem o exemplo de humilhação de Cristo, mas buscam uma vida de vaidades.
Contudo, não foi apenas Jeremias, o próprio Jesus e Paulo que sofreram insinuações, ameaças e perseguição, mas em nossos dias a Igreja também enfrenta todo tipo de ataques. São ensinos encontrados em falsas teologias que pregam “glória” e “prosperidade”. Enquanto a pregação de Jesus é arrependimento, humilhação e serviço – as “teologias” do momento pregam vida boa, paz, segurança, felicidade integral – (Muito parecido com o grupo que Jeremias enfrentou, não é mesmo?). Além disso, encontramos aqueles que tentam mudar a Palavra de Deus para seus próprios interesses – podemos lembrar de grupos váriados: modernismo, feminismo, homossexualismo – alterações da Bíblia para linguagens inclusivas, perversão dos Sacramentos etc., na maioria das vezes presente dentro da própria Igreja, como o próprio Paulo alerta: “Pois muitos andam entre nós, dos quais, repetidas vezes, eu vos dizia e, agora, vos digo, até chorando, que são inimigos da cruz de Cristo” (Fp 3.18).
Diante disso tudo precisamos abrir nossos olhos, pois a pregação para arrependimento de Jeremias, Jesus e Paulo é destinada a cada um de nós. Toda vez que cometemos pecados, deixamos a vaidade e a mentira invadir nosso coração e mente a ponto de defendermos posicionamentos anticristãos, estamos deixando de ouvir a Palavra de Deus, para ouvir os Falsos Profetas.
Ainda bem que o amor de Deus está disponível a todas as pessoas, e sua pregação não faz distinção. A bíblia é a Palavra de Deus, a qual contém a graça divina e a mensagem da CRUZ, que nos traz a demonstração e exemplo de humilhação de Jesus Cristo. Este é o exemplo que temos de seguir.
Muitos estão sendo guiados por caminhos de enganos e vaidades, os quais preferem as obras aos sofrimentos, a glória à cruz – não aceitam a humilhação e sofrimento de Cristo na cruz. No entanto, o amor de Deus e o próprio Salvador Jesus Cristo são encontrados na cruz. Na cruz são destruídas as obras e é crucificado o velho Adão... Na cruz e somente por ela, podemos compreender que a ação é totalmente divina.
Desta forma fica mais simples compreender porque os filhos de Deus enfrentam tantas situações difíceis e passem por tantos problemas. Deus permite o sofrimento e os problemas para nos moldar, assim como o pai educa e molda seu filho. Deus faz isso porque tem uma grande herança para nos conceder, porque nos ama.
Portanto, não somos guiados por GPS’s, cabrestos ou coisas parecidas, mas pela CRUZ de Cristo. Aqueles que são guiados pela cruz de Cristo não se perdem no caminho, e mesmo que surjam problemas e tribulações, ela guia e aponta para o caminho novamente, pois nunca perde o sinal. É por isso que podemos dizer juntamente com Davi: “Em paz me deito e logo pego no sono, porque, SENHOR, só tu me fazes repousar seguro” (Sl 4.8).
Possamos seguir seguros nossa caminhada rumo a salvação eterna guiados pela cruz de Cristo. Amém. 

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Este é meu Filho, a Ele Ouvi.


GoVal 10/02/2013
Régis Duarte Müller
A Transfiguração do Senhor – 10/02 a 17/02/2013

Textos Bíblicos: Salmo 99; Deteronômio 34.1-12; Hebreus 3.1-6; Lucas 9.28-36

           É muito comum pais terem orgulho de seus filhos. E na verdade, os pais oferecem o melhor que podem para que seus filhos possam crescer e se tornarem pessoas importantes. Os pais sentem orgulho do filho que começa a andar, e a dizer as primeiras palavras; os pais tem orgulho do filho que vai pela primeira vez à escola; que passa no vestibular; tem orgulho do filho que se forma, se casa e começa sua própria família; tem orgulho do filho que anda nos ensinos que o pai e a mãe ensinaram; que são justos; íntegros e procuram fazer o que é correto; os pais tem orgulho do que os filhos fazem.

Todos os pais criam seus filhos para que sejam pessoas importantes, e possam dizer com orgulho: Este é o meu filho!

Algo semelhante a isso aconteceu no alto do Monte Tabor, pois enquanto Jesus Orava e seu rosto e roupas se transformavam, uma nuvem os encobriu e dela uma voz bradou demonstrando que Deus também sentiu orgulho de seu Filho, pois Deus disse: “Este é o meu Filho, o meu eleito; a ele ouvi” (Lc 9.35).

Ouvir o que? Por quê? Para que?

Bem sabemos que a Palavra de Deus tem autoridade, e aquilo que diz, cumpre. Jesus Cristo é Filho de Deus, e mesmo sendo homem, ele é Deus, formando uma das pessoas da Trindade.

O Filho, Jesus Cristo, é o Santo de Deus, o qual foi enviado por Deus para redimir os pecadores e restá-los das garras do inimigo.

Algo sobrenatural aconteceu naquele lugar. Jesus era de fato homem, descendente de Adão. Mas Jesus é também o enviado de Deus, o Santo de Deus, o Eleito de Deus, é o Filho de Deus, é o próprio Deus.

A natureza humana, escurecida em Adão, decaída e perdida, dá lugar ao poder e majestade de Deus. Por isso tamanho espanto de Pedro, João e Tiago, afinal eles contemplavam a glória de Deus. Eles estão vendo uma anunciação do que irá acontecer no Calvário, e em seguida na Ressurreição. A luz de Cristo que brilha sobre aqueles apóstolos aponta para a salvação eterna, pois toda a glória de Cristo será desvendada pelas pessoas no dia da Ressurreição de Jesus Cristo.

A Transfiguração do Senhor é um acontecimento que está 40 dias antes da Páscoa ou crucificação. E neste período do calendário, denominado Quaresma, temos a proposta de meditação acerca deste mistério, onde o Deus Filho se humilha e se entrega à morte de Cruz pela salvação do mundo.

Enquanto humanos e limitados não entendemos como Deus age, assim como Pedro, João e Tiago não compreenderam o que estava acontecendo naquela noite. Por não entendermos o que acontece sentimos medo, angústia, aflição, ansiedade. Dentro de nossas limitações não compreendemos os propósitos de Deus em nossa vida.

Naquela noite, Jesus se apresentou aos seus discípulos na imagem plena de Deus, mas eles não entenderam. Assim, também, acontece frequentemente conosco. Deus age em nossa vida nas mais variadas maneiras com todo seu poder e autoridade, mas preferimos não crer. Queremos ver, experimentar e receber grandes feitos, grandes milagres, grandes obras de Deus, e acabamos não vendo as coisas que ele tem nos feito de maneira tão maravilhosa. Procuramos a Deus, mas em lugares e formas erradas, por isso não o encontramos.

Muitas vezes nos esquecemos de procurar Deus nos lugares certos, nos esquecemos de ouvir o que Ele tem a nos dizer, conforme nos orientou o Pai do céu.

Quando não encontramos Jesus ficamos aflitos e ansiosos. Sentimo-nos perdidos e abandonados. Abandonados pelo Pai? Será?

O Pai nunca nos abandou, mas sempre esteve e está ‘pertinho’ de nós. Foi para sentir-se mais perto de nós que Jesus Cristo veio a esse mundo e esvaziou-se do ser igual a Deus, assumindo a forma de Servo (Fp 2.5ss).

Mas mesmo assumindo a forma de Homem e servo, Jesus o Filho de Deus, continua a ser Verdadeiro Deus de uma só substância com o Pai. É este verdadeiro Deus que se apresenta naquele Monte.

Jesus, o Verdadeiro Deus, é visto em todo seu poder e majestade. Poder e Majestade que também seria presenciada por todos no dia da Ressurreição do Senhor. E ainda mais, todos que forem fiéis e ouvirem o que Ele tem a dizer, serão salvos e transformados em glória para a vida eterna (Fp 3.21).

Já sabemos que a Palavra de Deus tem Autoridade. Esta Palavra nos estimula a ouvir o Jesus tem a nos dizer, como vemos: Este é o meu Filho, o meu eleito; a ele ouvi” (Lc 9.35).

O que Jesus tem a dizer? Que precisamos voltar nossos olhos para ele e crer no que tem a nos dizer.

Por quê? Porque todos somos pecadores, e por isso sentimos medos, aflições, angustias e ansiedades.

Para que? Para que confiando no que ele diz, confessando nossos pecados e entregando nossas ansiedades a ele, tudo o mais será realizado em nossa vida.

Digo isso porque temos uma promessa: “Entrega teu caminho ao Senhor, confia nele, e o mais ele fará (Sl 37.5)”. Esta promessa nos mostra que Deus é poderoso e fiel, e por isso precisamos confiar nele. E se você ainda não ouviu a Palavra de Jesus, que ouça: “Eu Sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá” (Jo 11.25).

Esta promessa de Jesus é concretizada 40 dias após sua Transfiguração, pois Jesus, esvaziando-se do seu poder, foi morto na Cruz do Calvário, mas ressuscitou em Glória confirmando o que fora dito. Desta mesma forma, todo aquele que crê em Jesus viverá eternamente, conforme testemunha o Apóstolo Paulo: “pois a nossa pátria está nos céus, de onde também aguardamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, o qual transformará o nosso corpo de humilhação, para ser igual ao corpo de sua glória, segundo a eficácia do poder que ele tem de até subordinar a si todas as coisas” (Fp 3.20ss).

Que assim seja, de modo que possamos ouvir o que o Senhor tem a nos dizer e nos levar para junto de si no céu, em glória. Em nome de Jesus. Amém.