Comunidade Evangélica Luterana "Cristo"

Endereço: Rua Lincoln Byrro, 1520, Bairro São Paulo - Gov. Valadares, MG - Cep.: 35030-280;
Tel.:(33) 3021-6056;
E-mail: celcgv@gmail.com - Pastor Jadir Carlos Mundt
CULTOS AOS DOMINGOS ÀS 9H

sexta-feira, 29 de março de 2013

Está Tudo Acabado?


 Mensagem Sexta-Feira Santa – Jo 19.17-30
Régis Duarte Müller
Está tudo acabado?

Desde quando Jesus nasceu ele foi procurado e perseguido.
Jesus era visto como uma ameaça para os governantes daquela época. Como Heródes, o qual não queria perder seu posto de rei, por isso manda matar todos os meninos de até 02 anos (Mt 2.16-18), tudo isso porque queria acabar com a vida de Jesus.
Quando iniciou sua vida ministerial, Jesus também foi perseguido. Perseguido e criticado por suas atitudes que para alguns ‘privilegiava’ aqueles que se encontravam à margem da sociedade: mulheres, crianças (Mt 19.14), leprosos (Mt 8), ladrões, cobradores de impostos (Mt 9.9), adúlteros, pecadores (Mt 9.10) etc. Jesus ajudou muitas pessoas curando suas chagas, tanto carnais quanto espirituais. Jesus exortava para que elas se arrependessem. Jesus queria salvá-los, por isso ensinava para que mudassem as atitudes e abandonassem a vida de pecados.
Apesar de pregar e ensinar o respeito, o amor ao próximo, o arrependimento e perdão, Jesus
continuou sendo perseguido, até que um de seus próprios discípulos resolvesse entrega-lo em troca de algumas moedas de prata. Traído por um de seus próprios seguidores, um dos escolhidos, um dos discípulos.
Após ser preso, foram horas de imenso sofrimento e amargura. Abandonado por Deus, ainda era necessário levar consigo os pecados do mundo inteiro. O próprio Jesus carregou sua cruz, ele foi crucificado em meio a ladrões, e recebendo no topo de sua cruz a seguinte inscrição: “Jesus Nazareno, O Rei dos Judeus”. Jesus foi perseguido, maltratado e castigado.
Você recorda a última vez que recebeu um castigo? Você fez alguma coisa errada? Mereceu ter sido castigado? Às vezes os pais castigam seus filhos por terem feito algo errado, ou por terem deixado de fazer alguma obrigação. Os adultos também recebem castigos, alguns em forma de multa, outros na prisão. Mas se fazemos algo errado assumimos a possibilidade de ser castigado, seja criança, seja adulto!
Mas o que Jesus fez para ser castigado? Amou? Cuidou? Abençoou? Perdoou? Curou? Esses são motivos para condenação? Claro que não! Jesus não fez nada para merecer o castigo, mas embora fosse inocente, Jesus foi severamente castigado.
A condenação, o sofrimento e todo castigo, Jesus recebeu voluntariamente. O inocente pelos pecadores. Sim o sofrimento que Jesus passou foi por você, foi por mim, foi em nosso lugar.
Jesus fez tudo isso por causa do seu amor pela humanidade. Quando a bíblia diz: “Deus amou o mundo tanto” (Jo 3.16), ela se refere a todas as pessoas do mundo. O sofrimento e a forma cruel como Jesus foi tratado fazia parte de um plano divino que Jesus aceitou por causa do amor que sente por você.
Um grande número de pessoas zombava de Jesus enquanto seu sangue escorria, escorria de suas mãos e de seus pés que foram atravessados por pregos... Mesmo nesta situação Jesus dizia: “Pai, perdoa-lhes porque não sabem o que fazem” (Lc 23.34). Por causa disso, a Bíblia nos diz que temos a remissão, a remissão de pecados (Cl 1.14), ou seja, mediante o sangue de Jesus. Por isso você pode confiar em Jesus para salvá-lo do castigo do pecado.
Mas, após tanta perseguição... Jesus finalmente foi preso, condenado e crucificado. Depois de muito sofrimento, e que tudo estava acontecendo conforme as profecias. A fim de cumprir totalmente com as Escrituras, disse: “Tenho sede!” (Jo 19.28). Os soldados encheram uma esponja com vinagre e deram a Jesus. Após beber aquilo, Jesus disse: “Está consumado! E, inclinando a cabeça, rendeu o espírito” (Jo 19.30). Jesus está morto... O Cordeiro inocente, morto na cruz, no lugar do pecador.
Jesus sempre foi perseguido, desde quando nasceu... Até ser preso. Agora, Jesus está morto. E a Salvação? E a promessa de vitória? Está tudo acabado? É o fim da esperança das pessoas e da humanidade?

Nenhum comentário: