Comunidade Evangélica Luterana "Cristo"

Endereço: Rua Lincoln Byrro, 1520, Bairro São Paulo - Gov. Valadares, MG - Cep.: 35030-280;
Tel.:(33) 3021-6056;
E-mail: celcgv@gmail.com - Pastor Jadir Carlos Mundt
CULTOS AOS DOMINGOS ÀS 9H

domingo, 1 de setembro de 2013

Jesus Cristo é mesmo: Ontem, Hoje e Sempre.

Tema: Jesus Cristo é o mesmo: Ontem, hoje e sempre.
GoVal/Conselheiro Pena 01/09/2013
Régis Duarte Müller
15° Dom Ap Pentecostes – 31/08 a 08/09/2013
      
Textos Bíblicos: Salmo 131; Provérbios 25.2-10; Hebreus 13.1-17; Lucas 14.1-14

O ser humano muda com o decorrer do tempo. Fisionomia, pensamentos, convicções, atitudes. Foi assim comigo, é assim com todos, não é verdade?! Muitas vezes, quando olhamos para trás pensamos: Poxa! Como pude ser assim? Como pude usar aquela roupa. Como eu era indeciso, enfim, como as coisas mudam. Nós mudamos, às vezes para pior, às vezes para melhor. Mas quanto a você, quais foram suas principais mudanças?
Realmente a mudança é algo natural na vida das pessoas, e isso necessariamente precisa acontecer, a fim de crescermos como pessoas, como marido/esposa, como pai/mãe, como filho/irmão. Portanto, o ser humano está em constante ‘transformação’. Mas e Deus, muda? Jesus Cristo, também muda?
Em vários textos bíblicos encontramos registros sobre esse assunto. Em Malaquias 3.6 diz: “Porque eu, o SENHOR, não mudo”. E, também, o versículo 8, de Hebreus 13, que diz assim: “Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e sempre” (NTLH). Quer dizer, Deus não muda. Jesus não muda. Mas em que sentido Jesus não muda? Afinal, enquanto esteve na terra, Jesus mudou sua fisionomia, foi criança, adolescente, adulto. Marcos 9 conta o fato da transfiguração de Jesus, onde Jesus teve seu rosto e até suas vestes transfiguradas, apresentando-se diante dos discípulos em sua forma divina. Então, em que sentido, Jesus não muda?
Como homem, Jesus sofreu as mudanças naturais de qualquer ser humano. Contudo, Jesus não muda em seu amor, em sua atitude benevolente, em seu poder. Desde sempre Jesus ensina a prática do bem, da humildade, a cumprir com os deveres sociais, a tratar seus líderes com respeito... E principalmente, o aspecto imutável de Deus se torna presente na concretização da sua promessa, da nova aliança através de Jesus Cristo. Nem mesmo o sofrimento que passaria fez Jesus mudar de atitude, mas foi fiel ao Pai, fazendo-se sacrifício pela humanidade.
Portanto, Deus não muda e suas promessas alcançam a todos. E sua principal
promessa diz respeito à vida, não a vida passageira aqui na terra, mas a vida no porvir, eterna.
Temos ciência de tais coisas pelo ensino, testemunho e pregação dos guias espirituais. Esses guias falaram “a Palavra de Deus” através de pregações e do ensino. Por isso devem ser considerados exemplos a serem seguidos.
De fato, os guias espirituais são importantes, diria que são fundamentais para fomentar a fé dos fiéis, promovendo seu fortalecimento para a prática do bem. Ou seja, para cumprir com os deveres sociais, vivendo em constante amor fraternal (Hb 13.1), praticando a hospitalidade (v.2), lembrando-se dos presos, doentes (v.3), respeitando e honrando o matrimônio (v.4), vivendo sem avareza, mas sendo generoso, contentando-se com o que possui, pois Deus afirma: “De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te abandonarei” (v.5).
As instruções divinas são claras: Amor, hospitalidade, caridade, fidelidade, simplicidade. Contudo, parece que o ser humano não se convence destas coisas, afinal, a cada dia as pessoas mais individualistas (contato, somente virtual); cada vez mais as pessoas estão preocupadas com suas condições, preocupadas em amontoar riquezas, e cuidar do que conquistou. Esquecendo-se totalmente das necessidades do próximo, da prática fraternal e hospitaleira, da caridade.
Somos tentados a olhar apenas para o próprio umbigo, para nossas necessidades, sonhos e objetivos, esquecendo e deixando de lado qualquer possibilidade de ajudar o próximo. Contudo, não podemos esquecer os ensinos bíblicos que nos mostram a importância de ser um bom mordomo cuidando das nossas necessidades, mas nunca se esquecendo de amar o próximo, assim como amamos a nós mesmos (Mt 22.39). Ou seja, desejar e ajudar o próximo a conquistar os mesmos anseios que gostaríamos de ter.
Quando somos dominados pela avareza e riqueza, pelo desejo de cuidar apenas dos próprios interesses corremos o grave risco de esmorecer a fé, afastando-se de Deus. Muitas vezes, ansiando os melhores lugares nas festas e na sociedade, abrimos mão do melhor lugar que já recebemos: Nosso lugar bem especial no céu, cuidado e preparado pelo próprio Jesus.
É bem verdade que a situação atual do mundo, o exercício da ‘lei do mais forte’ acabam quase que obrigando as pessoas a ingressarem no mundo do capitalismo, da compra, da necessidade de trabalhar mais, de olhar para a própria vida, e por consequência, não sobrar tempo nem dinheiro para cuidar das necessidades do próximo, muito menos para alimentar a fé.
A correria é tamanha que nos colocamos em situações de fragilidade: fragilidade física e espiritual, oportunizando falsos profetas a realizarem suas ideologias de cura e prosperidade, alimentando os fiéis ao capitalismo e consumismo, afinal, somos filhos de Deus e ‘merecemos’, não é mesmo?!
A verdade é que não importa a quantia de valores depositados na conta, não importa os lugares que sentamos nos grandes eventos e festas, mas sim, a vida de amor pela prática da fraternidade, e buscando no exemplo dos guias espirituais o crescimento espiritual, pois assim, estamos agradando a Deus e ‘garantindo’ nossa cadeira no céu.
Contudo, mesmo nossos guias são mutáveis e passageiros, os quais virão e partirão, mas Jesus será sempre o mesmo. Os seguidores de Jesus podem contar com ele. Podem basear sua conduta na certeza de sua natureza imutável. Por isso, tanto os primeiros leitores de Hebreus, quanto os atuais, não devem perder a esperança, mas confiar no seu auxílio e provisão. Afinal: “De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te abandonarei” (Hb 13.5). Afirma o Senhor.
É nessa certeza e esperança que continuamos vivendo. Muitas vezes mudando, buscando pelo melhor na vida física e espiritual, tanto para si, quanto para o próximo. Buscando os próprios anseios, mas conforme o desejo e vontade de Deus. Afinal de contas, Deus continua cuidando dos seus filhos como sempre fez. Podemos ter certeza disso porque Jesus Cristo é mesmo, ontem, hoje e sempre. Amém.


Nenhum comentário: