Comunidade Evangélica Luterana "Cristo"

Endereço: Rua Lincoln Byrro, 1520, Bairro São Paulo - Gov. Valadares, MG - Cep.: 35030-280;
Tel.:(33) 3021-6056;
E-mail: celcgv@gmail.com - Pastor Jadir Carlos Mundt
CULTOS AOS DOMINGOS ÀS 9H

terça-feira, 8 de maio de 2012

Artigo Davi Schmidt


  • Deus não faz acepção de pessoas

            Há poucos dias novamente se discutiu o assunto das cotas para determinadas etnias nos vestibulares. Ou seja, algumas pessoas teriam facilitada sua entrada em cursos superiores por causa da sua origem (especialmente africana ou indígena). Alguns que defendem esta ideia apontam que estaria se fazendo justiça, porque os índios e negros foram fortemente discriminados e explorados no passado e que, também por causa disso, ainda hoje estariam sofrendo consequências da opressão, com mais dificuldade de acesso à educação ou cursos profissionalizantes. Pois existem vagas limitadas no ensino público e a maioria destas pessoas não poderia pagar um curso particular. Outros ainda dizem que as cotas deveriam existir não para etnias, e sim para condição social, defendendo que apenas os pobres deveriam ter direito ao sistema de cotas. Há ainda outros que rejeitam a ideia de cotas, porque afirmam que são um método injusto, pois uns precisam se dedicar ou estudar mais do que outros para passar no mesmo vestibular.
            Enfim, não quero aqui defender nenhuma destas posições. Porém há que se destacar que, infelizmente, neste mundo é muito difícil se fazer justiça. O mundo é pecaminoso, é injusto, é mau e classifica as pessoas conforme a sua aparência ou posse. Nós vemos isto, nós sabemos disto: “Quem pode mais, chora menos!” A discussão a respeito de termos cotas ou não para pessoas é um sintoma do nosso mundo doente. Por que uns parecem superiores aos outros? A ganância, a maldade e o pecado saltam aos nossos olhos.
            Isto nos remete a um texto bíblico que será também lembrado em nossa igreja no próximo final de semana, a saber, Atos 10.34-48, quando o apóstolo Pedro visitou Cornélio. Os judeus daquela época já conheciam textos bíblicos como Deuteronômio 10.17 ou 2Crônicas 19.7, onde a palavra de Deus ensina que Deus não faz acepção de pessoas, ou melhor, que todas as pessoas são iguais perante Deus. Infelizmente, muitos judeus que haviam se tornado cristãos não aceitavam que o Salvador Jesus tivesse morrido na cruz também para pessoas de outros povos. Achavam que, por serem circuncidados, teriam privilégios. Então Pedro ressalta os seguintes fatos a Cornélio: Deus não faz acepção ou diferenciação de pessoas (v.34), todos os que temem a Deus Lhe agradam (v.35), Jesus veio curar a todos os oprimidos pelo diabo (v.38) e que também sobre os não-judeus foi derramado o Espírito Santo (v.45).
         Esta mensagem deve servir de lembrança e consolo sempre para nós: “Deus não faz acepção de pessoas”. Não existe nada mais comum e democrático do que a cruz de Jesus Cristo. Nela os pecados de toda humanidade foram perdoados por causa da obra Dele. A fé em Jesus Cristo é o único meio de sermos salvos para a vida eterna. Neste mundo existem muitas injustiças por causa do pecado. Mas na vida eterna não será assim! Em Jesus Cristo receberemos todos o mesmo céu, de modo justo. Não por nossa justiça, não por que pensamos ser melhores ou mais aptos que outros. Mas pela justiça de Deus, estranha para nós, mas que quer tornar a todos iguais perante Ele, todos dependentes da mesma salvação e da mesma fé. Todos recebemos o mesmo dom, o mesmo presente. Somos todos filhos do mesmo Pai de amor. Em nome de Jesus, Amém.

    Davi Schmidt

Nenhum comentário: