Comunidade Evangélica Luterana "Cristo"

Endereço: Rua Lincoln Byrro, 1520, Bairro São Paulo - Gov. Valadares, MG - Cep.: 35030-280;
Tel.:(33) 3021-6056;
E-mail: celcgv@gmail.com - Pastor Jadir Carlos Mundt
CULTOS AOS DOMINGOS ÀS 9H

domingo, 5 de maio de 2013

Coragem para vencer as aflições.


Tema: Coragem para vencer as aflições.
GoVal 05/05/2013
Régis Duarte Müller
6° Dom de Páscoa – 05/04 a 12/05/2013

Textos Bíblicos: Salmo 67; Atos 16.9-15; Apocalipse 21.9-14,21-27; João 16.23-33

Como você lida com as dificuldades? É sabido que cada pessoa tem uma forma de lidar com as provações, dificuldades e aflições da vida. Alguns são fortes e encaram os problemas de frente; outros são mais frágeis e precisam da ajuda de pessoas para encarar as aflições; e tem aqueles que estão muito fracos, os quais precisam de todo tipo de ajuda – de amigos e pessoas que ofereçam ajuda médica e pastoral para enfrentar as aflições que a vida impõe.
Os problemas que enfrentamos são variados. O mundo tenta nos convencer de que estamos errados, e frente a isso somos atacados pelo que pensamos e cremos, por isso somos alertados: “Sereis odiados de todos por causa do meu nome; aquele, porém, que perseverar até o fim, esse será salvo” (Mt 10.22 – Ver também Jo 15.20-27 e 2Tm 3.12). Estas são as aflições que enfrentaremos por acreditar em Jesus como Salvador, e na Bíblia como Palavra de Deus e instrução para nossa vida. Além destas, também passaremos por outras aflições que estão ligadas a nossa limitação humana: problemas de saúde, familiares, financeiros, sociais, os quais nos desgastarão muito. Todas essas coisas que iremos passar e enfrentar apenas testificam as palavras de Jesus “No mundo, passais por aflições” (Jo 16.33).
As aflições da vida fazem parte do contexto de todo ser humano. Todos têm motivos para reclamar, todos têm problemas para resolver. Todas as aflições são oriundas da situação humana de corrupção e pecados, sejam eles de saúde ou de relacionamento.
Mas afinal, o que é Aflição? “Aflição” é um grande sofrimento; uma dor profunda, um tormento. Particularmente cada um tem a sua, que talvez seja a cruz que carregamos e iremos levar conosco enquanto vivermos aqui na terra. Entre elas, os problemas de saúde, as doenças, e finalmente, a morte – que é o maior tormento/aflição de todos.
Os problemas de relacionamento também afetam as pessoas e trazem muita dor e aflição. São as brigas e desentendimentos familiares, matrimoniais, entre amigos etc.
Todas essas aflições são provenientes de uma natureza corrupta e pecadora. A qual, dominando o ser humano, pode levar a uma aflição eterna: O inferno.
Ora, pois, sofrerão esta aflição todos aqueles que culpam a Deus por sua situação física, familiar ou social, pois são pessoas que pecam contra o segundo mandamento; sofrerão esta aflição todos aqueles que se desentendem, brigam, falam mal e não se retratam
perante o próximo ou perante Deus. Todos aqueles que pecam, mas não querem pedir perdão, não entregam a Deus suas aflições – tudo isso é resultado da queda em pecado do homem. A consequência final do pecado é a morte.
Ao mesmo tempo em que as aflições podem ser nossa pedra de tropeço e nos levar para o sofrimento eterno, elas podem ser fonte de perseverança, fé e esperança. Isso porque, Deus nunca nos deixa carregar uma carga maior do que nossas condições; isso porque Deus promete ajudar as pessoas em todas suas necessidades; isso porque Deus é amor, e para que não sofrêssemos a aflição da morte eterna, Deus enviou seu Filho, Jesus Cristo, que morreu, mas ressuscitou, vencendo assim, em nosso lugar, a morte e suas consequências.
Nenhum ser humano é capaz de mudar a realidade da morte. E, além disso, nosso desejo é permanecer afastado de Deus, merecendo a condenação. A fim de que pudéssemos ter acesso à nova Jerusalém, Jesus Cristo sofreu em nosso lugar a dor e a aflição que nos era reservada por causa do pecado. Ainda mais, antes de partir ao Céu, para ficar ao lado de Deus Pai, Todo-Poderoso, Jesus promete nos enviar o Consolador.
Jesus conheceu o mundo e sabe das dificuldades que enfrentamos, das dores, do choro e do luto. Mas nos consola dizendo: “No mundo, passais por aflições; mas tende bom ânimo; eu venci o mundo” (J0 16.33b).
Ninguém gosta de sofrer, ninguém gostaria de receber uma noticia como esta: “Através de muitas tribulações, nos importa entrar no reino de Deus” (At 14.22b). No entanto, esta é a mensagem que ouvimos de Paulo, dos outros discípulos e do próprio Jesus.
Apesar de ser difícil, e não querermos passar por situações de dificuldade, Deus nos conforta e fortalece para que enfrentemos todas as situações com bom ânimo, aguardando dias e tempos melhores. Os quais, se não forem nesta vida, com certeza será na eternidade.
Ao mesmo tempo, o contexto de nossa perícope nos anima, como lemos no versículo 20: “Em verdade, em verdade eu vos digo que chorareis e vos lamentareis, e o mundo se alegrará; vós ficareis tristes, mas a vossa tristeza se converterá em alegria” (v.20). Poderíamos pensar: Os sofrimentos são fontes de alegria? Como poderíamos nos alegrar ao ver atentados acontecendo no mundo? Como nos alegrar com a brutalidade que existe nas cidades rodeando nossas famílias? Como poderíamos nos alegrar diante da dor de uma doença ou da morte de alguém querido?
A fim de que compreendêssemos isso, o apóstolo João nos faz a comparação de uma mulher que está para dar à luz, como vemos: “A mulher, quando está para dar à luz, tem tristeza, porque a sua hora é chegada; mas, depois de nascido o menino, já não se lembra da aflição, pelo prazer que tem de ter nascido ao mundo um homem. Assim também agora
vós tendes tristeza; mas outra vez vos verei; o vosso coração se alegrará, e a vossa alegria ninguém poderá tirar” (Jo 16.21-22).
É por isso que as palavras de Jesus “tende bom ânimo” são importantes e cruciais para nossa vida. Afinal, ainda que soframos, a tristeza se converterá em alegria. Por isso, nos alegramos por todas as aflições superadas, e nos unimos a Cristo para pregar a libertação do homem das garras do inimigo.
Durante esse tempo, o Espírito Santo vai nos consolar, orientar e guiar. E quando vierem as dificuldades, lembremos que Jesus venceu o mundo, e também: “Seja forte e corajoso! Não se apavore, nem desanime, pois o Senhor, o seu Deus, estará com você por onde você andar” (Js 1.9).
Que assim, as palavras de ânimo e coragem dirigidas a Josué, também possa nos animar a viver, a testemunhar, a proclamar os feitos de Deus e cantar-lhe hinos de louvor, enfim, para vencer as aflições. Que nossa oração seja: “Seja Deus gracioso para conosco e nos abençoe, e faça resplandecer sobre nós o seu rosto; para que se conheça na terra o teu caminho e, em todas as nações, a tua salvação” (Sl 67.1-2). Assim seja. Amém.


Nenhum comentário: